ASSISTIR TV PODE AJUDAR EM RELACIONAMENTO DE PARES "INCOMPATÍVEIS"


RELACIONAMENTO DE GREGOS COM TROIANOS, por Gabriela Marra


O ato de assistir TV frequentemente vem acompanhado de uma conotação negativa condenada por nos distrair dos estudos, atividades físicas, interações sociais e outras tantas contraindicações que poderíamos até supor que ela é prejudicial aos relacionamentos afetivos. Mas pode ser justamente o contrário. Um artigo recente do Journal of Personal and Social Relationships comprovou que assistir televisão com seu parceiro pode melhorar seu relacionamento.


Um artigo recente do Journal of Personal and Social Relationships, que publica pesquisas da mais alta qualidade sobre relacionamentos sociais e pessoais, comprovou que assistir televisão com seu parceiro pode melhorar seu relacionamento.


Psicólogos e psicólogas da equipe da PhD Dra. Sarah Gomillion, do Departamento de Desenvolvimento Humano e Ciências da Família da Universidade do Texas, perguntaram a 259 estudantes universitários - em relacionamentos estáveis há mais de 18 meses - sobre o impacto das amizades e atividades compartilhadas com seus parceiros. Três questões foram decisivas quando cruzadas entre si: "Em que nível você e seu parceiro estão nos mesmos círculos sociais?"; "Você e seu parceiro assistem TV / filmes ou lêem livros juntos?"; "Quanto você está comprometido com seu relacionamento?".


O resultado demonstrou que aqueles que relataram melhor qualidade de relacionamento compartilhavam mais amigos em comum e assistiam mais TV e filmes juntos. Os benefícios do uso da mídias compartilhadas impactaram positivamente ainda mais na qualidade do relacionamento quando os parceiros não tinham tantos amigos em comum. O que aponta que assistir televisão é especialmente útil quando os casais não tinham tantos amigos em comum. Esses resultados só consolidam a grande importância das atividades compartilhadas entre um casal.


Uma queixa recorrente em terapia de casal está ligada aos "diferentes mundos" em que que cada parceiro vivia antes de conhecerem e só aparecem após uma fase inicial de paixão, o que resulta em muitos conflitos e afastamento emocional. O casal pára para pensar que eles são de áreas profissionais completamente diferentes, têm hábitos e círculos de amizades distintos, foram educados de formas diferentes e a qualidade da relação passa a ser afetada. Em casais com mais tempo de relacionamento a desatenção com a qualidade do tempo juntos é outra grande causa dos problemas. Nesses casos, os casais não devem focar nas diferenças e sim encontrar as afinidades e prazeres que possam compartilhar.


É possível adaptar inúmeras atividades prazeirosas que possam beneficiar seu relacionamento. E não é preciso ser tão criativo. Especificamente, na comprovação da pesquisa, os casais que compensam as diferenças colocando maior importância no compartilhamento do tempo assistindo TV juntos, por exemplo, fortalecem mais seu vínculo e tem um relacionamento de melhor qualidade. Provavelmente, teríamos resultados similares substituindo a TV por atividades sociais, esportivas e até com jogos de tabuleiro em conjunto, mas já que as séries no Netflix estão em alta, pode aproveitar sem culpa. O ponto chave que aproxima estão nas experiências positivas vividas em conjunto, com lembranças e repertório em comum, capaz de aproximar um casal com muitas diferenças.


Ainda assim, é importante observar a necessidade de sermos razoáveis na escolha do que assistir para não desencadear novos conflitos, afinal, a oferta de programas e filmes não pára de crescer. Há muitas opções capazes de agradar a gregos e troianos.




#terapia #casal #psicologia #tv #netflix #criserelacionamento #casamento

Quem Escreve

Gabriela Marra é psicóloga há mais de 10 anos, tendo se especializado em Psicologia Sistêmica aplicada à Terapia Individual, Terapia de Casal e Terapia Familiar.​